679201323259493
 

ESCORPIÃO

Atualmente são conhecidas cerca de 1.400 espécies de escorpiões distribuídas pelo mundo com exceção da Antártida. Estes aracnídeos não são exclusivos das regiões de clima tropical e subtropical podendo ser encontrados nos Alpes suiços, planícies canadenses, floresta amazônica, Europa, Ásia, Oceania e demais regiões. No Brasil as espécies mais importantes em Saúde Pública pertencem ao gênero Tityus, destacando-se as espécies Tityus serrulatus (escorpião amarelo) e Tityus bahiensis (escorpião preto). Encontramos também outras espécies com distribuição geográfica descrita no quadro abaixo.

Espécie                                                      Distribuição Geográfica

Tityus serrulatus                                   MG, ES, BA, RJ, SP, PR, GO, MS

Tityus bahiensis                                                    MG, SP, PR, SC

Tityus stigmurus                                                    Nordeste

Tityus metuendus                                                     Norte

Tityus costatus                                       MT, MS, MG, RJ, SP, PR, SC, RS

O homem é o grande responsável pela dispersão de muitas espécies destes aracnídeos através do transporte de cargas em caminhões e ferrovias, distribuindo-os em diversas regiões do território nacional. Nas áreas urbanas podemos encontrar estes escorpiões em locais com infestação de baratas, em terrenos baldios, onde haja acúmulo de entulhos e materiais de construção em jardins sem a devida conservação. Ocasionalmente encontramos escorpiões em residências que não apresentam estas condições, podendo a infestação ser oriunda de terrenos baldios e casas abandonadas na vizinhança.

Na verdade a presença destes aracnídeos se deve, muitas vezes, as condições favoráveis fornecida pelo próprio homem tendo como consequência a ocorrência de acidentes com crianças e adultos. A picada do escorpião amarelo em crianças pode ocasionar um estado clínico grave levando até a morte, entretanto a picada do escorpião preto apesar de dolorosa dificilmente ocasiona a morte da vítima.

Biologia e Comportamento

O escorpião carrega o veneno em duas glândulas localizadas em um segmento extra de sua cauda anterior ao ferrão que é o órgão responsável por perfurar e inocular o veneno na vítima. O veneno contido nestas glândulas são liberados parcialmente no processo de caça dos escorpiões visando a imobilização da presa, porém em caso de defesa ocorre a inoculação total do veneno.

Os apêndices dianteiros conhecidos vulgarmente como pinças é utilizado pelos escorpiões durante a caça, prendendo e até partindo sua presa. São carnívoros e em determinadas situações ocorre o canibalismo. Possuem hábito noturno e a visão pouco desenvolvida. Orientam-se pela vibração do ar e do solo e pela pouca acuidade visual localizam suas presas pelo tato.

Curiosamente os escorpiões não colocam ovos, ocorrendo a reprodução através de uma gestação entre 2 a 3 meses e posterior parto, quando os filhotes são expelidos pela fenda genital e logo sobem ao corpo da mãe permanecendo por uma ou duas semanas neste local. O número de descendentes por fêmea varia conforme a espécie.

Comumente encontramos escorpiões sob pedras e entulhos, dormentes de ferrovias, em bromélias localizadas em árvores ou no solo, em porões de residências, cemitérios (devido a presença de baratas), sob assoalhos de madeira e próximo a córregos.

Métodos de Prevenção

Conhecendo o comportamento dos escorpiões se faz necessário eliminar os possíveis abrigos e fontes de alimento (baratas dentre outras). Não se deve colocar a mão em buracos no solo, fendas em árvores e sob ninhos de cupim de montículo, pois além de escorpiões estes locais podem abrigar aranhas, ratos e cobras. Proporcionar uma adequada conservação dos jardins não acumulando madeiras, telhas e outros materiais.

Manter sempre um controle de baratas eliminado abrigo e alimento, e quando necessário providenciar o controle químico destes insetos. Não acumular materiais e restos de construção. Em residências de campo é aconselhável sacudir roupas e sapatos antes de utilizá-los. Evitar o acúmulo de madeira para lenha e outros materiais.